"Fora da Caridade não há Salvação"

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

A Campanha do Quilo

O que é?


Na forma institucional “espírita”, consiste em um grupo que, sempre aos domingos de 9:00 às 11:00 da manhã, ou seja, por duas horas, vai as casas para pedir em nome de Jesus, donativos (alimentos não perecíveis, frutas, dinheiro, etc., doados a gosto e possibilidades do doador) para posteriormente, após triagem, seleção e organização, em forma de cestinhas básicas, farnéis, estes donativos serem repassado para uma instituição beneficente e/ou famílias necessitadas de comunidades carentes, previamente cadastradas.

Como todo trabalho requer horário, disciplina, harmonia de grupo etc, o legionário (assim denominado o participante) deverá estar a partir das 08:00h, na instituição para uma preparação, com leitura do “Evangelho Segundo o Espiritismo” e discussão, pelo grupo, cujo o tema é sorteado, eventualmente, abrindo-se o livro e concluímos  com uma oração antes da saída às 09:00h. No retorno à instituição, às 11:00h, nova oração finalizando assim o trabalho.


REQUISITOS:

Estar, no  mínimo bem, física e emocionalmente, por conta da caminhada, do possível peso que irá arrecadar, bem como da simplicidade e paciência que requer a tarefa. Estar com roupa leve, confortável, sóbria, adequada ao ambiente; evitar maquiagens fortes, saltos, decotes e acessórios que possam dificultar a praticidade requerida para o exercício.


PARA OS INICIANTES:

É natural a timidez diante da inexperiência. Mas, lembre-se: sempre haverá outros colegas mais experientes que chegaram como você, posto que ninguém nasceu dentro do trabalho, e com muita humildade e satisfação irão o acolher e orientar para que você se sinta à vontade na sua nova experiência, respeitando as conclusões vindas espontaneamente  da sua identificação natural, afinidade, simpatia com o trabalho, e da consciência de que o bem é bom primeiro pra gente, que servir ao próximo sacrificando um pouco de nossas comodidades, é um dever como cristão, e isso é muito pessoal!


COMO SURGIU A CAMPANHA O QUILO.

Não se sabe ao certo a origem da Campanha do Quilo, mas com certeza a primeira Campanha feita em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, visando o amparo aos necessitados, foi a empreendida por Paulo de Tarso em favor da Casa do Caminho, durante as suas viagens. 

Os apóstolos de modo geral sustentavam a si e a seus empreendimentos com o mestre, dos parcos recursos como pescadores; com o tempo, vieram novos adeptos atraídos com a crescente simpatia pela causa, com a qual, embora tímidos, mas pela inegável exemplificação de amor, foram contribuindo com o que podiam, facilitando o trabalho do Mestre e seus seguidores nas necessidades da casa do caminho, que era, àquele tempo, a verdadeira igreja, a casa dos necessitados e pequeninos.

Grande missionário, São Vicente de Paula, também fazia campanha para distribuir com os pobres, trabalho esse continuado até hoje pela Ordem dos Vicentinos, da Igreja Católica. Mas Francisco de Assis, o anjo do amor que conversava com os lobos, não só popularizou, na idade média, essa modalidade de trabalho no meio religioso, como foi com ela que ele reergueu, levantou mais alto a bandeira do CRISTO num momento em que os próprios “cristãos” corrompidos pelo materialismo, luxo e filosofias, estavam se desvirtuando do verdadeiro sentido de humildade, desapego, sacrifício e solidariedade, que o Mestre e seus apóstolos deixaram. A pedido do Mestre, calçou a humilde sandália de couro e pôs o saco nas costas; hoje, é o símbolo máximo da humildade franciscana, e corajosamente fundou uma ordem dentro da própria sociedade que O teve por origem, mas que agora lhes esquecia os princípios.

Dentro do Movimento Espírita, temos notícias que Eurípedes Barsanulfo utilizou a “Campanha do Quilo” para o seu trabalho assistencial (Eurípedes, O Homem e a Missão - Corina Novellino), mas a pessoa que primeiro recebeu orientação expressa da Espiritualidade maior, através do Dr. Bezerra de Menezes, para implantação de forma sistemática, literalmente agora denominada “CAMPANHA DO QUILO”, nos arraiais espiritistas, foi ELIAS ALVERNE SOBREIRA, que quando encarnado, 01-03-1907 à 31-03-003, e morador de Recife -PE, ensinou a Oli de Castro a fazer a Campanha do Quilo e este ensinou ao Nympho de Paula Corrêa.” (Revista Auta Souza, nº 11, p.26-27).


O INÍCIO DA CAMPANHA DO QUILO EM PERNAMBUCO

O pernambucano Elias Sobreira conheceu a Campanha do Quilo em agosto de 1938. A obra foi iniciada anonimamente pelo casal Matos Vieira e Da. Relene, em benefício do Abrigo Creche Nazareno, à rua Pontes Leme, n° 438, em Campo Grande – Rio de Janeiro, o qual abrigava quarenta menores do sexo feminino.

Em 1945, a serviço da Aeronáutica, transferiu-se para Recife. Informado da existência do Orfanato Ceci Costa que abrigava meninas órfãs. Em reunião solene relacionada ao aniversário da fundação do referido Orfanato. Foi neste momento que Elias expôs a razão da sua presença neste evento: A CAMPANHA DO QUILO. O presidente da casa, Professor José de Barros Lins, que também presidia a solenidade aceitou o convite da criação da referida campanha em Recife.

Lins dirigiu-se à Escola Espírita Maria de Nazaré, explicou minuciosamente as finalidades da Campanha do Quilo ao irmão Adauto Cavalcanti, seu presidente. Ficou combinado pelo presidente e uma dezena de confrades e a Campanha teria início no Domingo próximo em benefício do Orfanato Ceci Costa. Ao final do evento, foram contabilizados os donativos e após as formalidades, foram remetidos para o Orfanato. Ficou estabelecido assim que a Campanha realizar-se-ia uma vez por mês, no terceiro domingo.

Em prosseguimento foram ao Núcleo Espírita Centelha de Jesus que aderiu ao movimento e começou no domingo seguinte. 

A terceira Organização Espírita foi Tabernáculo Espírita Apóstolos de Cristo;
a quarta foi a Cruzada Espírita Pernambucana;
a quinta, o Educandário Espírita Joana D’Arc;
a sexta, a União Espírita da Torre;
a sétima, o Grupo Espírita Regeneração;
a oitava, a Escola Espírita Caminho da Luz;
a nona, a Cruzada Espírita Olindense;
a décima, o Centro Espírita André Luiz;
a décima primeira, a Escola Espírita Irmã Rosália
a décima segunda, o Tabernáculo Espírita Caminheiros Humildes
a décima terceira, Núcleo Espírita Viandantes da Luz;
a décima quarta, a Escola Espírita Jesus de Nazaré

         No ano de 1946 foi criada, sob orientação do Mentor espiritual da Campanha Adolfo Bezerra de Menezes, a Escola Central do Quilo que deveria orientar as tarefas das Campanhas. A seguir, nos moldes desta, foram organizadas Escolas Regionais do Quilo, nos principais setores do Recife.

A partir de 1947 foram surgindo outros abrigos de necessitados a serem beneficiados com a Campanha do Quilo e outros Centros foram convocados para cooperar com os mesmos.
Mais detalhes sobre todo o processo encontram-se no Livro "Campanha do Quilo – O bom Combate" do próprio Elias Sobreira.

“Vinde a mim vós que estás cansados e oprimidos e eu vos aliviarei!”

Por Ricardo Souto
Compartilhar:

Correio Eletrônico

Insira seu e-mail e receba nossas atualizações :

Mais Informações

Tecnologia do Blogger.